Logo Câmara Municipal do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, 22 de Setembro de 2019
Fotos Câmara Municipal
Mapa do Site | Glossário Acessibilidade
esqueceu senha Preciso de ajuda
xxxxxxx

Comunicação

HomeComunicaçãoNotícias e Avisosdetalhes

Notícias e Avisos - detalhes

Parlamento carioca discute parâmetros para a implantação do Parque Sustentável da Gávea

 

 

 

 

Foto de:   Reprodução

27/08/2019

Tramita na Câmara Municipal do Rio de Janeiro o Projeto de Lei Complementar nº 72/2018, do Poder Executivo, que estabelece parâmetros para a construção do Parque Municipal Sustentável da Gávea. Por parque sustentável compreende-se aquele que agrega função ecológica e de lazer com acesso público, possibilitando a convivência com área edificada que lhe dê viabilidade econômica, e cuja implantação garanta prioridade ao pedestre, densidade equilibrada e uso de tecnologias e soluções sustentáveis. O objetivo do governo é contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população e o equilíbrio ambiental das áreas urbanas.

O Parque Municipal Sustentável da Gávea foi instituído pela Lei Municipal nº 5.757/2014. Entretanto, como a instalação do parque exigia a desapropriação do terreno, localizado em bairro valorizado, demandando um alto investimento de recursos públicos, o processo ficou inviabilizado. Após diversas tentativas de solucionar o problema, em 2017 tiveram início estudos que se desdobraram na atual proposta, que possibilita construções patrocinadas e mantidas pela iniciativa privada junto às divisas laterais, mantendo uma alameda central que convida à convivência dos frequentadores e moradores da região.

Entre os objetivos do parque, está a utilização de espécies vegetais nativas; o fortalecimento do vínculo entre a natureza e a cidade, promovendo a criação de novos espaços com gestão sustentável; a criação de padrão de tratamento paisagístico com valorização das áreas verdes e das espécies arbóreas; e a aplicação de tecnologias que possibilitem o aproveitamento das águas; entre outros.

O parque ficará dividido em três setores: o Setor A, do alinhamento com a Rua Marquês de São Vicente até encontrar a curva de nível 25 metros; o Setor B, da curva de nível 25 metros até encontrar a curva de nível 100 metros; e o Setor C, da curva de nível 100 metros até a divisa de fundos do lote.

O Setor A poderá ter uso residencial, comercial e de serviços, com construção de edificações. O Setor B será destinado a uso do parque, com trilhas ecológicas e acesso livre ao público. Já no Setor C ficará vedado qualquer tipo de edificação ou construção, sendo permitidas apenas atividades de estudo e pesquisa.

"A solução apresentada possibilita construções junto às divisas laterais, mantendo uma alameda central que convida à convivência dos frequentadores e moradores da região e, permite o acesso às áreas naturais na encosta preservada", afirmou o chefe do Poder Executivo.


voltar topo

enviar por email gerar pdf imprimir   

ícone

Câmara Municipal do Rio de Janeiro
Palácio Pedro Ernesto
Praça Floriano, s/nº - Cinelândia - Cep: 20031-050
Tel.: (21) 3814-2121 | e-c@mara:

©2011 Câmara Municipal do Rio de Janeiro créditos estatísticas

Câmara Municipal do Rio de Janeiro
Palácio Pedro Ernesto
Praça Floriano, s/nº - Cinelândia - Cep: 20031-050
Tel.: (21) 3814-2121 | e-c@mara: