Logo Câmara Municipal do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, 13 de Dezembro de 2018
Fotos Câmara Municipal
Mapa do Site | Glossário Acessibilidade
esqueceu senha Preciso de ajuda
xxxxxxx

Comunicação

HomeComunicaçãoNotícias e Avisosdetalhes

Notícias e Avisos - detalhes

Legislativo debate propostas para o carnaval

 

 

 

 


05/12/2018

A Comissão Especial do Carnaval, presidida pelo vereador Tarcísio Motta (PSOL), se reuniu nessa terça-feira (3) com pesquisadores, representantes de blocos, ambulantes e entusiastas para apresentar sugestões a serem tomadas pela Prefeitura para o carnaval do próximo ano, já que as recomendações propostas no ano de 2017 não foram acatadas pela Prefeitura.
A reunião contou com a presença do historiador do carnaval Luiz Antônio Simas; do jornalista, presidente do bloco Carmelitas e membro da diretoria da Associação Independente de Blocos de Carnaval da Zona Sul ? Sebastiana, Alvanísio Damasceno; da pesquisadora Luise Campos; da representante do Movimento Unido dos Camelôs, Maria Lourdes do Carmo; e da representante do Movimento Contra o Assédio no Carnaval "Não É Não", Aisha Jacob.

Dentre os pontos debatidos estavam a não vinculação do carnaval à Secretaria de Turismo, e sim à de Cultura; a criação de uma Subsecretaria Municipal do Carnaval; a instituição de um Plano de Democratização do Carnaval que garanta a participação ampla e direta da sociedade ao longo do processo; e formas de garantir transparência dos investimentos realizados nos blocos, nos desfiles das escolas de samba e nos contratos de patrocínio.


O cuidado com os trabalhadores que atuam no carnaval, com enfoque nos ambulantes, também foi discutido. A presidente do Movimento dos Camelôs colocou em pauta a questão das mercadorias apreendidas pela Guarda Municipal, questionando a legitimidade da medida e o que é feito com os bens retidos. Maria Lourdes fez ainda uma reclamação sobre as exigências da Prefeitura para o trabalho dos camelôs, que obriga o uso de uma pequena caixa térmica com o logotipo da cervejaria patrocinadora, que não oferece condições de trabalho.


O carnaval de rua também teve seu espaço. O Presidente do bloco Carmelitas afirmou que a restrição da venda por parte dos camelôs prejudica a festa, sendo apenas uma estratégia que visa ao lucro das instituições patrocinadoras do evento.


Já no âmbito do carnaval de avenida, Luise Campos explicou a importância de se ter um programa eficaz que atenda às necessidades do povo carioca. A pesquisadora apontou que 50% da população do Município nunca foi ao Sambódromo porque não se sentem parte desse movimento. "A sociedade precisa ser envolvida nas questões do carnaval. Ele não pode ser visto apenas como um atrativo turístico, mas sim cultural. O samba é um ato que estabelece relação comunitária e o Poder Público precisa entender isso", disse.


O vereador Tarcísio expressou sua insatisfação com o descaso da Prefeitura com as recomendações propostas pelo Legislativo. O parlamentar explicou que é fundamental a mobilização popular para que o Executivo se sinta pressionado a atender às necessidades do povo, e não apenas àquelas que atendem aos seus próprios interesses, para que o carnaval seja, de fato, um direito cultural do cidadão.


voltar topo

enviar por email gerar pdf imprimir   

ícone

Câmara Municipal do Rio de Janeiro
Palácio Pedro Ernesto
Praça Floriano, s/nº - Cinelândia - Cep: 20031-050
Tel.: (21) 3814-2121 | e-c@mara:

©2011 Câmara Municipal do Rio de Janeiro créditos estatísticas

Câmara Municipal do Rio de Janeiro
Palácio Pedro Ernesto
Praça Floriano, s/nº - Cinelândia - Cep: 20031-050
Tel.: (21) 3814-2121 | e-c@mara: