Logo Câmara Municipal do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, 13 de Dezembro de 2018
Fotos Câmara Municipal
Mapa do Site | Glossário Acessibilidade
esqueceu senha Preciso de ajuda
xxxxxxx

Comunicação

HomeComunicaçãoNotícias e Avisosdetalhes

Notícias e Avisos - detalhes

Sessão Legislativa (22): Grande Expediente e Votações

 

 

 

 


22/11/2018

Na Ordem do Dia dessa quinta-feira (22), os parlamentares rejeitaram o Projeto de Lei nº 1003/2018, de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre a destinação de recurso proveniente de multas de trânsito vinculadas ao município do Rio de Janeiro em campanhas educativas de prevenção de acidente.


Durante o Grande Expediente, o vereador Fernando William (PDT) criticou a tramitação na Casa do Projeto de Decreto Legislativo nº 136/2018, que transfere R$ 40 milhões do fundo da Câmara para a Prefeitura aplicar em programas de saúde. De acordo com o parlamentar, a proposta foi aprovada na Comissão de Administração e Assuntos Ligados ao Servidor Público por dois vereadores, sem sua consulta, embora seja titular da mesma. "Passou pela comissão, sem meu conhecimento, sem discussão da matéria e sem definição onde será aplicado", censurou. Segundo ele, "devolver o valor é uma decisão acertada e legal, mas repassar o montante sem garantia de sua aplicação é inaceitável".


Renato Cinco (PSOL) chamou a atenção para as mudanças climáticas que ocorrerão no planeta, consequência do aquecimento global. "O Jornal do Brasil de hoje publica um relatório internacional com dados alarmantes. De acordo com a publicação, cerca de 100 milhões de pessoas se deslocarão, até o ano de 2100, da Zona Costeira para o interior, devido ao aumento do nível dos oceanos", ressaltou. O vereador disse ser necessário debater o problema na cidade e enfrentá-lo de forma efetiva. "Já estamos atrasados na discussão dos efeitos que sofreremos com essas mudanças globais e o Rio não está preparado para as dificuldades que terá de encarar", frisou Cinco.

Reimont (PT) condenou a decisão da Secretaria Municipal de Educação de implementar o ensino semipresencial para jovens e adultos (EJA). "A EJA é destinada à formação dos estudantes de maneira presencial, na escola. E como o aluno será capacitado com a exigência de somente duas vezes por semana estar em sala de aula e nos demais dias estudar pelo computador, em casa?", questionou. O vereador sugeriu convidar o Conselho Municipal de Educação para explicações sobre a proposta e declarou: "os profissionais do EJA são altamente qualificados e estão preocupados com o ensino e com a redução de 51% de recursos para o projeto no orçamento municipal de 2019". O vereador criticou também a proposta da prefeitura de criar um "atalho" para o deslocamento de veículos da Península para a Avenida das Américas, na Barra da Tijuca, "beneficiando exclusivamente o prefeito Crivella, morador do local, já que os demais residentes não concordam com a obra ao custo de mais de R$2 milhões". E ao finalizar seu discurso, Reimont criticou a atitude de representantes da Prefeitura e da Guarda Municipal, ancorados pela Polícia Militar, de demolir do espaço de funcionamento do projeto "De Olho no Lixo", na Rocinha, bem como o Projeto de Lei nº 1025/2018, que visa a privatização dos serviços de fornecimento de água e esgoto sanitário. "Água não é mercadoria, para tê-la só quem pode pagar. É um direito de todos. E política se faz com transparência e com o debate, precisamos discutir os problemas de cidade", encerrou.


voltar topo

enviar por email gerar pdf imprimir   

ícone

Câmara Municipal do Rio de Janeiro
Palácio Pedro Ernesto
Praça Floriano, s/nº - Cinelândia - Cep: 20031-050
Tel.: (21) 3814-2121 | e-c@mara:

©2011 Câmara Municipal do Rio de Janeiro créditos estatísticas

Câmara Municipal do Rio de Janeiro
Palácio Pedro Ernesto
Praça Floriano, s/nº - Cinelândia - Cep: 20031-050
Tel.: (21) 3814-2121 | e-c@mara: